Funcional e cheio de sabor: receitas de entrada, principal e sobremesa para um jantar light e especial

Conteúdo elaborado em parceria com o Empório Doll Lagoa

Admito, é difícil pensar em um jantar um pouco mais especial sem que ele signifique não sair da dieta. Mas não é impossível. A nutricionista Sandra Reichert, franqueada do Empório Doll da Lagoa da Conceição, garantiu que sim: enviou algumas de suas receitas preferidas e eu reproduzi em casa todos os passos dos pratos que sugiro aqui.  Sem açúcar, sem glúten e sem lactose.

Mas antes, é legal esclarecer um ponto: muita gente se pergunta o que é, afinal, alimentação funcional. Quando é dito que um alimento é funcional é porque, além das funções nutricionais básicas, ele traz outros benefícios metabólicos , fisiológicos ou benéficos à saúde. Por exemplo, o grão de bico, além de fonte proteica, diminui a absorção de açúcar e de gordura no sangue e por isso,  é  indicado aos  que precisam controlar a glicemia e colesterol. Também contém triptofano, aminoácido essencial para a produção de serotonina, substância que traz sensações agradáveis. Já a abobrinha, um dos vegetais menos calóricos, é uma excelente fonte de fibras  e um combinado poderoso de antioxidantes.  A tâmara tem potássio, ferro e fibras, enquanto as castanhas do pará contêm selênio, que retarda o envelhecimento celular.

Para além dos benefícios e de não significar quilos a mais depois da jacada do final de semana, o jantar sugerido é saudável e garante energia e leveza pós-refeição (o que, vamos combinar, dificilmente conseguiríamos depois daquela carbonara). 

Só um lembrete: é preciso estar aberto a novos sabores. Não espere, por exemplo, sentir gosto de leite condensado no brigadeiro. É preciso reeducar o paladar, como disse Bela Gil aqui.

Vamos às receitas?

Entrada: Pasta de grão de bico
Rendimento: quatro porções

1 xícara de grãos de bico cozido
1 colher de sopa de tahine
Azeite de oliva o quanto baste
Sal rosa (vai de acordo com o gosto, coloquei duas pitadas)
1 dente de alho
Suco de um limão siciliano
Páprica defumada para finalização
Uma cenoura cortada em palitinhos

Preparo:
1. Coloque o grão de bico, o tahine, sal, alho, o suco do limão no processador ou liquidificador. Adicione azeite de oliva até ele ficar com textura de pasta.

2. Para apresentação, espalhe a pasta em um prato raso e faça “piscinas” de azeite. Finalize com páprica picante ou salsinha.

Principal: Macarrão de abobrinha com molho de tomate e almôndegas com farinha de linhaça dourada.
Rendimento: quatro porções.

Para o macarrão 
2 abobrinhas grandes

Para o molho 
2 tomates italianos descascados
1 lata de tomate pelati
1 cebola média
1 dente de alho

Manjericão a gosto

Para as almôndegas
500g de carne moída (usei patinho)
Meia cebola média bem picadinha
1 dente de alho moído
Pimenta preta moída na hora
Sal
1 colher de sopa rasa de orégano
2 colheres de sopa rasa de farinha de linhaça dourada

Preparo:
1. Faça a mistura dos ingredientes das almôndegas com as mãos, modele, deixe descansar na geladeira por 15 minutos e coloque no forno pré-aquecido 200°C por cerca de 30 minutos (ou até assarem e ficarem douradas).
2. Enquanto isso, prepare o molho refogando alho e a cebola. Adicione o tomate e logo depois o sal e o tomate pelati. Espere reduzir. Quando as almôndegas estiveram prontas, incorpore no molho, adicione as folhas de manjericão e desligue.
3. Faça o macarrão de abobrinha usando um ralador próprio para julienne de legumes. A dica é usar a casca e parte da parte interna branca. O miolo, usei no molho. Coloque as abobrinhas já fatiadas na água fervida e salgada por cerca de dois minutos (a abobrinha tem que se manter “al dente”. A dica para a abobrinha permanecer verdinha depois de cozida é dar um choque térmico tirando da água quente e mergulhando em água fria (panela com água e gelo).
4. Pronto! Agora é montar o prato. Pode ser como a foto ou uma cama com o molho e o macarrão por cima. Pode servir com queijo ralado.

Bom apetite!


Sobremesa:
brigadeiro de tâmara


230 g de tâmaras sem caroço
130 g de castanha do pará picada
2 colheres de sopa de cacau em pó
1/4 de colher de chá de essência de baunilha (opcional)
1 colher de chá rasa de massala chai (opcional)

Preparo:

1. Coloque as tâmaras de molho em água morna por 15 minutos.
2. Em um processador triture bem as castanhas. Acrescente o cacau,  a essência de baunilha e o massala chai. Processe até ficar homogêneo. Escorra as tâmaras e adicione à mistura do processador. Triture bem até incorporar na mistura. Duas dicas para chegar no ponto que facilita enrolar os brigadeiros: triture bem a castanha que ela vai soltar gordura e adicione um pouco da água das tâmaras.
3. Modele os brigadeiros no tamanho que preferir. Para cobertura opte por: cacau em pó, chia, nibs de cacau, flocos de arroz. Usei cacau, mas acho que ficou muito forte. Acho que na próxima optaria por flocos de arroz.


 

Comments

comments

Laura Coutinho

Escrito por Laura Coutinho

Laura Coutinho é jornalista com mestrado em Relações Internacionais. Já morou em Porto Alegre, Londres e Lisboa e é apaixonada por viagens, gastronomia, cultura e inovação. Trabalhou mais de 15 anos no Grupo RBS como repórter, editora e colunista. Hoje, concilia o site próprio com uma coluna semanal no jornal Notícias do Dia, em Santa Catarina, e o trabalho de relações públicas.

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *