No coração do Brasil: um roteiro para conhecer as belezas da Chapada dos Veadeiros, em Goiás

Texto de Laura Coutinho e Roberta Escher 

Cachoeiras, piscinas naturais, trilhas, cristais e muito misticismo. Em tempos de busca por autoconhecimento e desejo generalizado por mais contato com a natureza, destinos como a Chapada dos Veadeiros, em Goiás, nunca foram tão apropriados. A região de mais de 65 mil hectares é a maior área de cerrado contínuo do mundo e para proteger a diversidade de fauna e flora foi criado o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, que reúne parte das atraçôes (embora algumas das cachoeiras mais lindas,  como a de Santa Bárbara, estejam fora dos limites do Parque). 

Acredita-se que o Cerrado brasileiro seja o tipo de savana mais rico em biodiversidade do planeta. O ecoturismo por lá virou a maior fonte de renda, somado também à atração gerada pela aura mística de Alto Paraíso, a mais famosa das seis cidade goianas que formam a Chapada dos Veadeiros. Tanto esoterismo pode ter começado por uma questão geológica: a região fica sobre uma imensa placa de cristal de quartzo (o que tornaria a área uma das mais brilhantes do mundo quando vista de fora da Terra). Além disso a Chapada é cortada pelo paralelo 14 (o mesmo de Machu Picchu, a cidade sagrada dos Incas, no Peru) e por isso muita gente acredita que há sim um portal energético por lá. O misticismo em Alto Paraíso é plural: tem espaço para toda a turma dita da Nova Era. Budistas, seguidores de Prem Baba, praticantes da Ayurveda, da yoga, ufólogos e até quem jure ter sido abduzido.

De fato, dá para sentir um astral diferente na região. Não sei se vem do tempo mais lento, dos banhos de cachoeira, daquele céu mega estrelado ou da beleza comovente do cerrado. Mas, mesmo que você não acredite em energias ocultas, cristais e outros feitiços, a Chapada dos Veadeiros é um destino imperdível. 

Montei, junto com a expert Roberta Escher, goiana radica em Floripa que é habitué da região,  um roteiro para quem planeja uma viagem para lá. Dividimos o roteiro em dicas práticas e os três pontos mais procuradas da Chapada: Alto Paraíso, a cidade mais estruturada, Cavalcante, a que guarda a mais bela cachoeira, e Vila de São Jorge, a mais charmosa das três. Que tal aproveitar o próximo feriado?

Dicas práticas 

Como chegar lá
Depois do voo até Brasilia, o melhor é alugar um carro e dirigir até lá (são 220km entre a Capital e Alto Paraíso) . É bem difícil explorar a região da Chapada sem carro -, além de as atrações serem distantes, não há muita opção de transporte.

Quando ir
Fui em abril, final do verão, que é época de chuvas. Apesar de as cachoeira estarem lindas e as piscinas naturais cheias, é uma época mais perigosa por conta da trombas d’água, que podem fazer os rios (e consequentemente as cachoeiras) subirem rapidamente. A alta temporada por lá é no inverno – junho, julho, agosto, quando chove menos e dá para aproveitar sem medo. 

É uma viagem para fazer com as crianças?
O acesso às cachoeiras é por trilhas de variadas dificuldades, algumas bem fáceis, como a que dá acesso ao Vale da Lua. Acho que crianças a partir de 8, 10 anos já acompanham bem. 

Guias turísticos
Indispensável consultar os Centros de Apoio ao Turista (CAT) espalhados nas localidades da Chapada pois muitos dos passeios aqui indicados só poderão ser realizados com o acompanhamento de um condutor de visitantes credenciado. 

Preços dos passeios
Exceto pelos passeios gratuitos dentro do Parque Nacional, quase todos os outros são feitos em propriedades particulares que cobrem valor de ingresso, que gira em torno dos R$ 20. 

Gastronomia
O Cerrado tem um riqueza gastronômica imensa. Não deixa de experimentar o pequi, fruta da região que é utilizada em preparados doces e salgados, o baru, uma castanha deliciosa da qual é feita até cerveja, e a guariroba, uma espécie de palmito que compõe o empadão goiano. Ah, o  bolo de mandioca com coco, chamado de Mané Pelado, também é imperdível. Na lista abaixo constam alguns restaurantes. 

Trilhas
Há trilhas de todas as dificuldades e terrenos – de barro, passando por pedras e raízes. Não caminhe usando chinelo, prefira tênis ou botas de trekking. Boné ou chapéu, repelente, água e lanches leves também são indispensáveis. Se for no verão, capa de chuva na mochila é uma boa dica. 

Dinheiro
Entradas nas cachoeiras, passeios e guias precisam ser pagos em dinheiro. Também não há caixas eletrônicos por ali (apenas do Itaú em Alto Paraíso), então convém já ir com dinheiro em espécie.

Quantos dias ficar
Tem cachoeira para um mês inteiro sem repetir, mas já dá para ver as mais lindas e curtir o clima do Cerrado em um feriado prolongado, de três ou quatro dias.

São Jorge

A vila, muito charmosa, fica a 40 quilômetros de Alto Paraíso. Lembra um pouco o clima do Rosa, com ruas de terra, restaurante fofos e vida noturna agitada nos feriados e a alta temporada.

Cachoeira do Segredo:  sem dúvida uma das cachoeiras mais bonitas e mágicas da Chapada dos Veadeiros, 8km de trilha no meio da mata, com rio ao fundo, cenário bem tropical. E depois de uma trilha linda, você chega e entende qual é o “segredo”.

Foto Itakamã Ecoaventura

Mirante da Janela: com uma trilha emocionante, onde cada desafio é agraciado por um banho em poços ao longo da trilha e pelo visual exuberante da Chapada. São 6,5 km de caminhada e ao final, no Mirante da Janela, percebemos a imensidão e a força da natureza.

Foto: Viagem sem filtro

Santo Cerrado Risoteria: ambiente muito gostoso, com luz baixa e velas, geralmente com atrações de voz e violão. Especializado em risotos(muito bem servidos), o restaurante se destaca pelo risoto de legumes e pelo surubim ao molho de gengibre.
Viela C, Q. 08, lote 02, Vila de São Jorge 

Foto Santo Cerrado Risoteria

Rústico Restaurante: outro ponto super charmoso, com um grande espaço ao ar livre, lounges super confortáveis, rede e um bom bar de driques. O forte do cardápio são os hambúrgueres e as carnes na parrilla, com opção também de legumes preparados no fogo e que estavam uma delícia.
Rua 01 SN Quadra 01 Lote 09 – Vila de São Jorge

Loja Herbanarium Carapiá: lojinha no centrinho da vila, onde você encontra diversos produtos naturais, produzidos ali mesmo na Chapada dos Veadeiros. Destaque para os sabonetes em barra, super cheirosos e ótimo custo benefício.
Rua Baru, s/n, São Jorge

Pousada Baguá:  super confortável e estilosa, a Baguá tem bangalôs espaçosos, (alguns com ofurô), uma piscina de metragem generosa ligada à sauna (pra você mergulhar direito da sauna para a piscina ) e hidro à céu aberto. A área social onde é servido o delicioso café da manha cheio de delicias típicas, escancara a paisagem do Cerrado, um sonho. O paisagismo, a decoração e a atenção com cada detalhe fazem da estada inesquecível.   Super indico. As diárias variam entre R$ 420 e R$ 630 e a estadia mínima é de dois dias.
Rua 2, Q16, São Jorge 

Foto Ion David
Foto Ion David
Foto Ion David
Foto Ion David
Foto Ion David

Pousada Bambu Brasil:   outra opção interessantes de hospedagem confortável e com boa estrutura. O local tem cafeteria aberta ao público, mesmo não se hospedado por ali vale conhecer o jardim exuberante da pousada.
Rua 1, Quadra 1, Lote 08, São Jorge 

Bambu Brasil

Alto Paraíso

Cachoeira Loquinhas: na verdade um complexo de cachoeiras, esse é  um dos atrativos mais procurados da região devido ao  acesso fácil (bem tranquilo ir com as crianças) e pela proximidade com a cidade. Pelos mesmos motivos, também é uma das mais cheias. Chegando lá, são duas opções de circuito, o Loquinhas e o Violeta. O primeiro é o mais procurado, tem cerca de um quilômetro e conta com  oito paradas : Poço Jacutinga, Poço do Curupira, Poço Curumins, Poço da Vovó, Poço Siriema, Poço do Xamã, Poço do Pajé e a Cachoeira da Loquinhas.

Foto Guia Viajar Melhor
Foto Wevs Bronw
Foto Guia Viajar Melhor

Cachoeira dos Macaquinhos: é uma cachoeira logo no começo da região do município de Alto Paraíso, sugerida para se conhecer até mesmo antes de chegar na cidade. Tem vários poços lindos, com bastante volume de água. A estrada para a cachoeira é muito rica em árvores, flores e plantas do Cerrado, e com o visual da imensidão da Chapada.
GO-118,  km 42, Fazenda Santuário das Pedras

Foto Guia Viajar Melhor

Jardim de Maytrea: situado na estrada que liga Alto Paraíso à São Jorge e um imenso campo aberto com veredas, tipo de palmeira do cerrado. Um lugar sagrado para os místicos, que acreditam haver lá um portal para outra dimensão. É muito lindo ao pôr do sol, onde o céu do Cerrado proporciona cores inacreditáveis.

Foto Ion David

Coisas da Drica Café: parada obrigatória para um lanche ou um café. Várias delícias vegetarianas, feitas de forma artesanal e bem saborosas. Vale a pena experimentar o cachorro quente vegetariano.
Av. Engenheiro Ary R. Valadão Filho, 1626, Centro, Alto Paraíso de Goiás

Cravo e Canela Sabor e Consciência:  opção perfeita depois de um dia de trilha e banho de cachoeira. Cardápio vegano delicioso e bem servido com opções de saladas, hambúrgueres, sanduíches, pizzas, tapiocas e sopas. O chapati, pão indiano, acompanhado de molho de cogumelos é maravilhoso. De sobremesa, experimente o brownie de baru vendido no caixa.
Av. Ary Ribeiro Valadão Filho, 1363, Centro, Alto Paraíso de Goiás 

Paraíso dos Pândavas: É um yoga resort com chalés ao meio da natureza e uma sede onde acontecem as práticas diárias de Yoga e Meditação, além das refeições veganas. Destaque para a piscina de pedras, com borda infinita, no meio da trilha, e para o Mirante. No site, tem a programação anual de retiros.
Rodovia GO 239, km 60, Alto Paraíso de Goiás

Paraíso dos Pândavas
Paraíso dos Pândavas

Anahata Spa: diversos tipos de terapias e massagens em ambiente tranquilo e cheio de natureza. Aproveite para relaxar e curtir a vibração zen da cidade. Destaque para as massagens Ayurvédicas.
Rua da Palha, 123, Centro, Alto Paraíso de Goiás

Gota Sat Son: a Gota foi construída em 1994 por um grupo de meditadores. Sua forma provoca expansão e harmonização do som, que pode ser ouvido em várias dimensões.  Programação diária de meditações e atrações musicais no site.
Rua 3, n. 30, Alto Paraíso de Goiás

Gota Sat Som

Espaço Lotus: Logo na entrada nos deparamos com um belo jardim no qual obras de arte e simbologias da tradição Védica estão espalhadas: diversidades de Flores de Lótus, a Shiva Lingam, e um templo de meditação e yoga.
Rua Joaquim Costa, Q 1, LT 11, Alto Paraíso de Goiás

Pousada Maya: incluída no grupo Roteiros de Charme, a Maya também segue o clima rústico mas é bem confortável, com quartos com varanda, hidro e serviços como massagem e yoga disponíveis.
Rua 11 Q.11 Lotes 4 e 5, Alto Paraíso de Goiás

Pousada Maya
Pousada Maya
 Cavalcante

Fica a cerca de 90 quilômetos de Alto Paraíso e tem uma estrutura mais simples. É ponto de partida para a mais bela cachoeira da Chapada. 

Cachoeiras Santa Bárbara e Capivara: se você só tiver um dia na região (o que seria uma grande pena) escolha esse passeio. E ele vai demandar um dia inteiro mesmo. É preciso chegar no Centro de Apoio ao Turista de Cavalcante  e contratar um guia (R$ 120, que pode ser dividido em até seis pessoas). A cachoeira de Santa Bárbara é cartão postal da Chapada e  fica em um quilombo. Portanto quem administra os passeios são os quilombolas, nesse caso o povo Kalunga. Informe-se antes de ir pois há limitação de visitantes por dia e você pode perder a viagem se for alta temporada e se não chegar cedo ao CAT. A partir dali o guia acompanha você dentro do carro. São cerca de 30 quilômetros de estrada de chão e o trecho final é feito em jardineiras 4×4. Depois, há uma trilha até a cachoeira que é rápida mas exige atenção porque passa por pedras e raizes. A recompensa é o poço que oscila entre o verde esmeralda e o azul turquesa e uma linda queda d’água de 30 metros. Um paraíso cercado de pedra e vegetação, uma água límpida com areia clarinha e cristais no fundo. Cada grupo pode ficar apenas uma hora no local. Dali, dá para conhecer a Cachoeira Capivara, que tem duas quedas grandes e intensas e um grande poço bom para banho. 

Kalunga é uma das maiores comunidades de remanescentes quilombolas do país e teria se formado há mais de 300 anos com escravos fugidos de fazendas baianas e de outros Estados. O que faz com que esse passeio seja ainda mais especial pois permite conhecer um pouco mais da cultura dos Kalunga. Dá para almoçar na localidade de Engenho II, sede da comunidade, onde o próprio guia sempre direcionada para um dos restaurantes com comida simples e deliciosa feita no fogo à lenha.

Centro de Apoio ao Turista de Cavalcante: Avenida Silvino Ferreira, s/n. Fone 62 3494-1507

Cachoeira Santa Bárbara. Foto Gustavo Albano
Cachoeira Santa Bárbara. Foto Laura Coutinho
Cachoeira Capivara. Foto Gustavo Albano

Poço Encantado: cachoeira no caminho de Cavalcante para Alto Paraíso, onde é possível alugar prancha de stand up para curtir o poço. A propriedade também em um restaurante bem estruturado para almoço, com vista para a cachoeira. Também é uma boa opção para ir com as crianças. Vale a pena conhecer.

Encanto da Pizza: pizzaria simples, porém charme vai todo para o seu sabor. De massa bem fininha, o destaque vai para a pizza de abobrinha com gorgonzola. (End.: R. Borba Gato, 03 – Centro, Cavalcante.

Comments

comments

Laura Coutinho

Escrito por Laura Coutinho

Laura Coutinho é jornalista com mestrado em Relações Internacionais. Já morou em Porto Alegre, Londres e Lisboa e é apaixonada por viagens, gastronomia, cultura e inovação. Trabalhou mais de 15 anos no Grupo RBS como repórter, editora e colunista. Hoje, concilia o site próprio com uma coluna semanal no jornal Notícias do Dia, em Santa Catarina, e o trabalho de relações públicas.

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *