Maior festival de divulgação científica do mundo, Pint of Science acontece em Florianópolis entre 20 e 22 de maio

O maior festival de divulgação científica do mundo começa semana que vem e Floripa está na rota pela terceira vez. O Pint of Science acontece ao longo de três dias consecutivos sempre no mês de maio e ao mesmo tempo em mais de 250 cidades de 24 países.

O festival é gratuito e acontecerá no Café Cultura ( R. Manoel Severino de Oliveira, 635, Lagoa da Conceição) e Boteco Bacana (Av. Me. Benvenuta, 1678, Santa Mônica), nos dias do evento, a partir das 19h.



Nascido em 2012 no Imperial College London (Inglaterra), chegou no Brasil em 2015 e vem crescendo desde então. Este ano, 2019, o Brasil se destaca em primeiro lugar mundial com 85 cidades recebendo o festival. 

Este ano o PoS acontecerá nos dias 20, 21 e 22 de Maio. Em Florianópolis, serão duas palestras por noite, acontecendo ao mesmo tempo em dois endereços na cidade. Ao todos, 12 cientistas convidados debaterão com o público presente, num bate-papo de boteco, mas embasado em dados científicos e no trabalho dos palestrantes. 

Entre os temas, por exemplo, a pós-doutora Roseane Panini, da UFSC, falará sobre insetos comestíveis. 

“Os insetos têm sido destacados pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação como um meio sustentável e de alto teor proteico para suprir a futura demanda proteica na alimentação animal e humana. Existem mais de duas mil espécies de insetos comestíveis já catalogadas e altamente nutritivas. Além disso, sua produção requer menos terra e água e emite menos gases de efeito estufa do que a criação de gado. A palestra irá mostrar o panorama atual do desafio de se estabelecer os futuros mini rebanhos de insetos comestíveis”, resume Roseane, especialista em Ciência dos Alimentos. 

Outros assuntos que estarão em cartaz nas palestras do Pint of Science são Terra Plana, Cura Quântica e Buracos Negros. 

O Pint of Science Florianópolis acontece pelo 3º. ano consecutivo e é organizado pelos pesquisadores Dra. Andréa Pimenta, Dr. Fabrício Flores Nunes, Dra. Larissa Zeggio e Dr. Marcelo Schappo.

O PoS Florianópolis 2019 é gratuito, sem fins lucrativos, conta com o trabalho voluntário de todos os envolvidos e este ano tem apoio do Café Cultura, Boteco Bacana, Cerveja 048 e IFSC.

Informações e programação completa na fanpage @pintofsciencefloripa (Facebook) e no site nacional do evento

Confira a programação completa.

O Pouso na Lua: 50 Anos de Farsa?
Boteco Bacana – 20/05 – 2ª feira, 19h
Palestrante: Luiz Henrique Martins Arthury

Minicurrículo: Formado em Física pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestre e doutor em Educação Científica e Tecnológica pela mesma instituição, com trabalhos sobre visões epistemológicas na Cosmologia Moderna. É professor do curso de Licenciatura em Física do Instituto Federal de Santa Catarina em Jaraguá do Sul, trabalhando principalmente com Ensino de Física e História e Filosofia da Ciência.

Resumo: Alegadamente o ser humano teria pisado na Lua há 50 anos atrás, em julho de 1969. A propaganda ostensiva do governo americano em época de guerra fria convenceu muita gente deste feito, apesar de muito rapidamente também ter produzido desconfianças por parte de outras pessoas. Nessa palestra, procuraremos discutir alguns dos argumentos amplamente usados a esse respeito, usando física básica e considerações históricas para esclarecer a questão: afinal fomos ou não à Lua?

Nanotecnologia: Aplicar ou Não em Alimentos?
Boteco Bacana – 20/05 – 2ª feira, 20h
Palestrante: Itaciara Larroza Nunes e Flávia Barbosa Schappo

Minicurrículo:
Itaciara: Graduação em Nutrição com doutorado em Ciência de Alimentos (UNICAMP). Atualmente é professora Titular-Livre da UFSC secretária do Conselho Deliberativo da SBOG e Secretária Executiva da SBCTA-SC. Tem experiência com micro e nanoencapsulamento de carotenoides.

Flávia: Cientista de Alimentos pela UFSC e mestranda na área pela mesma instituição. Trabalhou com análise de alimentos, controle de qualidade e, desde a graduação sua pesquisa envolve aplicação de nanotecnologia em alimentos.

Resumo: Nanotecnologia é a ciência que estuda materiais em escala nanométrica. O prefixo “nano”, vem de pequeno mesmo: estamos falando da bilionésima parte de 1 metro. À medida que se reduz o tamanho de um material até a escala nanométrica, suas propriedades sofrem alterações, que podem auxiliar na produção de alimentos com melhores características. Por exemplo, aumentar a estabilidade dos compostos naturais, tornando viável a substituição dos compostos sintéticos, muitas vezes prejudiciais à saúde. Mas será que essas alterações têm apenas aspectos positivos? Falaremos destas aplicações e desafios.

Palestra Quântica: Uma Cura Científica para Enganações Quânticas
Boteco Bacana – 21/05 – 3ª feira, 19h
Palestrante: Marcelo Girardi Schappo

Minicurrículo: É formado em física com doutorado na área pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente, é professor do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), no câmpus São José. Desenvolve pesquisas envolvendo a interação da radiação com a matéria, especialmente filmes poliméricos sujeitos a feixes de íons, elétrons e fótons. Também coordena o projeto de extensão “Astro&Física”, visando realizar divulgação científica de qualidade envolvendo temas de física moderna e astronomia. É autor do livro didático “Mecânica Quântica: Uma Iniciação para Ciências Exatas e da Natureza”, publicado para utilização no ensino superior pela Editora Livraria da Física em 2018.

Resumo: Na contramão dos requisitos adequados para um conhecimento possuir validade científica, nossa sociedade vem se tornando repleta de afirmações e produtos que envolvem afirmações pseudocientíficas. Uma boa parte disso está relacionado com física quântica, pois os fenômenos que ela descreve fogem completamente a experiência da física cotidiana e do senso comum. Nesta palestra, portanto, serão discutidos aspectos introdutórios aos conceitos da física quântica e como eles são usados de forma indevida para fins de pseudociências e charlatanismo.

Evolução é Só uma Teoria?
Boteco Bacana – 21/05 – 3ª feira, 20h
Palestrante: Bruno Menezes Galindro

Minicurrículo: É formado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com mestrado em Engenharia Ambiental pela mesma instituição. Atualmente, está com doutorado em processo de conclusão pela UFSC, também em Engenharia Ambiental com período Sanduíche realizado na Universidade Técnica da Dinamarca e é professor de Biologia e Bioquímica do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), na cidade de Gaspar.

Resumo: Através de experiências vividas em sala de aula, vamos discutir as dúvidas que permeiam o tema da evolução. Há quem afirme que a evolução é “apenas uma teoria”. Mas o que faz dela uma teoria? Afinal, quais as evidências que temos para suportar as ideias advindas da Teoria da Evolução? Por fim, ainda vamos refletir sobre possíveis conflitos entre as crenças pessoais e o evolucionismo.

Será que a Terra é Plana?
Boteco Bacana – 22/05 – 4ª feira, 19h
Palestrante: Marcelo Girardi Schappo

Minicurrículo: É formado em física com doutorado na área pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente, é professor do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), no câmpus São José. Desenvolve pesquisas envolvendo a interação da radiação com a matéria e coordena o projeto de extensão “Astro&Física”, visando realizar divulgação científica. É também autor de livro de mecânica quântica para o ensino superior publicado pela Livraria da Física.

Resumo: De uns tempos pra cá, um número de pessoas cada vez maior tem tido contato com materiais que tentam convencer que a forma da Terra é plana, contrariando a afirmação atual do conhecimento científico, especialmente devido às redes sociais. Nesta palestra, vamos falar sobre a importância de uso de modelos na explicação da natureza, apresentar as origens das discussões sobre a forma da Terra e comparar os modelos plano e esférico nas suas capacidades em descrever corretamente os fenômenos observados na Terra. Afinal de contas, será que a Terra é plana?

O Bater de Asas de uma Borboleta Pode Mesmo Gerar um Tornado?
Boteco Bacana – 22/05 – 4ª feira, 20h
Palestrante: Maurício Girardi Schappo

Minicurrículo: Formado em física pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e doutor pela mesma instituição na área de Mecânica Estatística e Fenômenos Críticos. Trabalha com neurociência computacional visando contribuir com estudo de doenças associadas ao cérebro. Trabalhou como pesquisador de pós-doutorado no Montreal Neurological Institute and Hospital, vinculado à McGill University, no Canadá. E atualmente é pesquisador da USP Ribeirão Preto.

Resumo: Na cultura popular, “caos” está associado à bagunça e desordem. Já na ficção científica, é comum encontrar a ideia de caos relacionada a catástrofes originadas por uma pequena mudança, tal como o bater de asas de uma borboleta gerando um tornado no outro lado do mundo. Nesta palestra, vamos explorar esses conceitos através de um experimento simples, vídeos e simulações computacionais, tentando responder se realmente existe ordem no caos.

“Inteligência” Artificial
Café Cultura – 20/05 – 2ª feira, 19h
Palestrante: Jorge Henrique Busatto Casagrande

Minicurrículo: Engenheiro eletricista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com mestrado e doutorado também pela UFSC. Mestrado na área de Inteligência Aplicada e doutorado em Sistemas Computacionais. Atualmente, é professor do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) no câmpus São José e empreendedor na área de telecomunicações. Tem interesse em redes de computadores, inteligência artificial, e-business e segurança e automação de sistemas.

Resumo: A Inteligência Artificial vêm se tornando cada vez mais frequente em aplicações tecnológicas que permeiam o cotidiano de máquinas e pessoas. Embora a ciência para o desenvolvimento de sistemas inteligentes tenha produzido resultados motivadores, estamos distantes de aceitar que existe efetivamente uma inteligência humana, especialmente no que diz respeito de que máquinas ou programas agem como pessoas. Neste Pint 2019, vamos trazer o tema ao debate e refletir sobre sua utilidade ao nosso alcance.

Aventura Científica: Explorando a Vida nos Confins Gelados do Planeta
Café Cultura – 20/05 – 2ª feira, 20h
Palestrante: Amanda Gonçalves Bendia

Minicurrículo: É bióloga, mestre em Biofísica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e doutora em Microbiologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é pós-doutoranda no Instituto de Oceanografia da USP e sua pesquisa envolve estudar micro-organismos em ambientes inóspitos, principalmente na Antártica, e suas implicações para a busca de vida fora da Terra. Participou de expedições científicas para a Antártica e também faz divulgação científica.

Resumo: Você sabia que a Antártica é um dos lugares mais inóspitos da Terra? Algumas condições lá são inclusive mais extremas que Marte! Venha se aventurar nessa discussão sobre a vida nos extremos da Antártica e como esse estudo pode nos ajudar a responder a uma das maiores perguntas da humanidade: estamos sozinhos no universo?

Insetos Comestíveis
Café Cultura – 21/05 – 3ª feira, 19h
Palestrante: Roseane Panini

Minicurrículo: Farmacêutica com habilitação em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestrado e doutorado em Ciência dos Alimentos e pós-doutorado em Bioquímica, ambos pela UFSC. Atua como consultora na grande área de alimentos e no estudo do uso de insetos comestíveis para alimentação animal e humana, tema da sua tese de doutorado.

Resumo: Os insetos têm sido destacados pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação como um meio sustentável e de alto teor proteico para suprir a futura demanda proteica na alimentação animal e humana. Existem mais de duas mil espécies de insetos comestíveis já catalogadas e altamente nutritivas. Além disso, sua produção requer menos terra e água e emite menos gases de efeito estufa do que a criação de gado. Por conta de tudo isto, essa palestra irá mostrar o panorama atual do desafio de se estabelecer os futuros mini rebanhos de insetos comestíveis.

Buracos Negros e Galáxias
Café Cultura – 21/05 – 3ª feira, 20h
Palestrante: Daniel Ruschel Dutra

Minicurrículo: Formado em física com mestrado na área pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Doutor em Ciências também pela UFRGS, com um período de estágio de um ano no Instituto de Astrofísica de Canarias – La Laguna, na Espanha. Atualmente é professor da UFSC e sua pesquisa se concentra em núcleos ativos de galáxias e na interação destes com o meio interestelar e com formação estelar nas regiões centrais de galáxias pelo universo.

Resumo: As galáxias são os constituintes básicos do Universo, e através de seu estudo que chegamos a resultados importantes como a existência da matéria escura e a expansão do Universo. O paradigma atual sustenta que buracos negros, com massas da ordem de milhões de vezes a massa do Sol ou mais, habitam o centro de praticamente todas as grandes galáxias. Neste colóquio discutiremos a natureza dos buracos negros em geral, as evidências que temos de sua existência e o impacto que eles podem ter sobre a galáxia que habitam.

Tubarões: Predadores Incompreendidos
Café Cultura – 22/05 – 4ª feira, 19h
Palestrante: Renato Hajenius Ache de Freitas

Minicurrículo: Possui graduação em Ciências Biológicas, mestrado e doutorado em Ciências Biológicas na área de Zoologia e pós-doutorado em genética da conservação de elasmobrânquios. Realiza pesquisas nas áreas de ecologia e comportamento animal. Atualmente é professor/pesquisador na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e tutor do projeto “PET-Biologia” da UFSC, além de ser credenciado no Programa de Pós-Graduação em Ecologia.

Resumo: O objetivo será, através de evidências científicas acerca da ecologia desses animais, desmitificar a imagem de serem brutais assassinos. Será demonstrada a importância deles para a manutenção da saúde no ecossistema e seu potencial econômico em turismo. Ao fim irá mostrar que eles correm mais riscos do que a nossa espécie.

Essa tal de Radiação: Cura ou Mata?
Café Cultura – 22/05 – 4ª feira, 20h
Palestrante: Débora Peres Menezes

Minicurrículo: É professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde também foi Pró-Reitora de Pesquisa e Extensão. Possui doutorado em física nuclear pela Universidade de Oxford, com pós-doutorados e atuações como professora visitante em vários países. Pesquisa na área de física nuclear relativística e astrofísica nuclear e tem interesse especial em divulgação científica para esclarecer as inverdades por trás de pseudociências.

Resumo: Apesar de inúmeras matérias na mídia a respeito dos perigos das radiações, a grande maioria delas é improcedente devido ao fato de que muitas são radiações não ionizantes. Para explicar melhor os fatos, farei uma distinção entre essa radiação não ionizante e as ionizantes, realmente perigosas. Mostrarei que as energias que elas carregam são muito distintas e discorrerei sobre as cinco principais possibilidades de interação da radiação com a matéria. Com alguma informação, é possível perceber as diferenças entre os tipos de radiação para tomar decisões embasadas em física e não em pseudociências.

Comments

comments

Laura Coutinho

Escrito por Laura Coutinho

Laura Coutinho é jornalista com mestrado em Relações Internacionais. Já morou em Porto Alegre, Londres e Lisboa e é apaixonada por viagens, gastronomia, cultura e inovação. Trabalhou mais de 15 anos no Grupo RBS como repórter, editora, colunista e assinou coluna social durante um ano no Jornal Notícias do Dia. Hoje, concilia a produção de conteúdo em site próprio com o trabalho de relações públicas.

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *