Arte, cidade e meio-ambiente: exposição Rios de Asfalto, de André Pardini, estreia na Galeria Pedra

Arte, meio-ambiente, cidade.  Fruto da nova geração de artistas que não dissociam arte de questionamento político e social, André Pardini apresenta a sua Rios de Asfalto, exposição com pelo menos 15 obras, na galeria Pedra, na Casa Quatro Oito, a partir desta quinta, dia 29.

Foto Lucy Hallack

Paulistano formado na UDESC, Pardini tem 29 anos, é artista visual, grafiteiro e também coordenador da galeria Pedra, que abriu as portas em outubro com as fotografias de Felipe Morozini.  

Rio de Asfalto, que foi apresentada em São Paulo no início do ano depois de participar de mostras coletivas em Florianópolis, inclui uma série de monotipia,  resultado de um trabalho experimental que nasceu em 2015  no ateliê de gravura da universidade, quando Pardini trabalhava como monitor. Se a monotipia é uma técnica das mais antigas, o ineditismo do trabalho do artista fica por conta não apenas da temática mas também de um das matérias-primas utilizadas: o asfalto. Com o material, ele faz uma relação direta com a história dos rios de São Paulo, sua terra natal, onde o asfalto cobriu boa parte do curso dos rios e córregos no processo de urbanização da cidade.

Foi ponto importante do trabalho a pesquisa histórica que refez os caminhos originais tecidos pela natureza, depois ocultos e modificados sob o argumento da urbanização, em uma das maiores metrópoles do mundo.

Obra Corpos D’Água da série Rio de Asfalto. Reprodução

– Mergulhei fundo nessa temática, também uma questão socioambiental que precisa ser discutida. A maioria dos paulistanos anda e dirige sobre rios e nem imagina que existem e a situação em que se encontram. Em Florianópolis não é diferente: o Rio da Bulha, com nascentes no Morro da Caixa e que corre embaixo da Avenida Hercílio Luz, no Centro, também está oculto, esquecido e poluído – conta Pardini.

Além das monotipias, haverá uma instalação com canos retirados de sucatas e uma intervenção.  A exposição fica em cartaz até dia 10 de janeiro de 2019 e está aberta ao público nas quartas, sextas e sábados, das 18h às 22h (de 24 de dezembro a 02 de janeiro de 2019 a galeria estará fechada).

Foto Lucy Hallack

Artistas catarinenses na programação da Galeria Pedra 

Depois de Rios de Asfalto, em cartaz até 10 de janeiro, estão confirmadas para a programação da Galeria Pedra as obras de dois novos e fortes nomes da arte catarinense.  Nestor Jr. apresenta suas aquarelas em fevereiro seguido da série de fotos e vídeoinstalações da fotógrafa e artista multimídia Juliana Stringhini, em abril.

Serviço

O quê: Exposição “Rios de Asfalto”
Quando: de 29 de novembro a 10 de janeiro de 2019. A galeria abre às quartas, sextas e sábados, das 18h às 22h (de 24 de dezembro a 02 de janeiro de 2019 estará fechada)
Onde: Galeria Pedra, na Casa Quatro Oito (Rua João Henrique Gonçalves, 1.005 – Canto dos Araçás – Florianópolis)
Entrada gratuita 

Comments

comments

Laura Coutinho

Escrito por Laura Coutinho

Laura Coutinho é jornalista com mestrado em Relações Internacionais. Já morou em Porto Alegre, Londres e Lisboa e é apaixonada por viagens, gastronomia, cultura e inovação. Trabalhou mais de 15 anos no Grupo RBS como repórter, editora, colunista e assinou coluna social durante um ano no Jornal Notícias do Dia. Hoje, concilia a produção de conteúdo em site próprio com o trabalho de relações públicas.

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *