A ascensão do Fogão: por que o pequeno restaurante do Rio Tavares se tornou um dos melhores de Florianópolis

Matéria elaborada em parceria com o Fogão Gastronomia 

O endereço é improvável, o ambiente é simples e pequeno, o casal de proprietários é de fora e chegou a Florianópolis há quatro anos sem nenhum contato na cidade. A olho nu nenhum fator contribuía muito para o sucesso do Fogão Gastronomia, restaurante no Rio Tavares, bairro em crescimento, mas ainda bem distante de qualquer circuito gastronômico da Capital.

Quintal Rosa Fotografia

Com lupa, garfo e faca, no entanto, o sucesso se explica. O restaurante de apenas seis mesas comandado pelo casal de chefs Michael William e Mayara Packer surpreende no conceito e nos sabores. Começando pelo paladar, tudo ali encanta: do ingrediente fresquíssimo ao tempero onde nada falta ou sobra. Tudo na medida do equilíbrio, assim como o cardápio que, enxuto, muda a cada semana dependendo dos ingredientes encontrados na terra ou no mar.

O chef Michael William, responsável pelas delicias do Fogão. Quintal Rosa Fotografia

Entre as entradas estão cerca de sete opções que variam. Já brilharam por ali as croquetas de garoupa, as vieiras na manteiga, o siri mole, uma iguaria deliciosa que nunca tinha experimentado, e a burrata, que ali é orgânica e super cremosa. Nesta semana (até domingo, dia 20/5), moquequinha de camarão com banana e jalapeño e truta defumada e cream cheese de ovelha estão entra as opções. Tão incríveis que às vezes dá vontade de ficar apenas degustando as entradas em sequência.

Siri Mole. Foto Quintal Rosa Fotografia
Ostra nativa da Ilha.. Quintal Rosa Fotografia

Entre os principais, que giram em torno de quatro opções, há pratos como: risoto de siri, farfale vegetariano com cogumelos, talharim com camarões, mariscos, amêndoas e vegetais orgânicos e o stinco de cordeiro com polenta mole, molho jus e pinhão (pratos esses que variam entre R$ 30 e R$ 78). No momento, os pratos com inspiração no outono se alternam no menu da casa, que logo assumirá a cara do inverno. 

Quintal Rosa Fotografia
Farfale vegetariano com cogumelos. Quintal Rosa Fotografia
Quintal Rosa Fotografia

O Fogão também não é daqueles lugares onde será possível dispensar a sobremesa. Canoli de ricota doce com calda de amora e gelato de pistache, cheesecake com cream cheese de queijo de ovelha caseiro e frutas vermelhas orgânicas e o delicioso brigadeiro de colher acompanhado de gelato de amendoim salgado e amêndoa estão entre as tentações para as quais vale se entregar.

Canoli de ricota doce com calda de amora e gelato de pistache. Quintal Rosa Fotografia
cheesecake com cream cheese de queijo de ovelha caseiro e frutas vermelhas orgânicas. Quintal Rosa Fotografia

Mas nem só de sabor vive o Fogão. Bela Gil, a polêmica culinarista e apresentadora que diz muitas verdades, já declarou aqui que pensar só no paladar é egoísmo. Michael e Mayara sabem bem disso. Ser o mais sustentável possível é a regra número 1 por ali. E isso inclui a busca insana pelos ingredientes frescos e orgânicos e por produtores que se alinhem com essa filosofia, mesmo que isso demande muito mais trabalho e dedicação da dupla.

Em campo: o chef escolhendo os camarões pescados no João Paulo. Quintal Rosa Fotografia

Predestinados à cozinha, Michael e Mayara se conheceram estudando gastronomia no Senac de Águas de São Pedro,  SP.  Formados, partiram para um período de experiências em grandes restaurantes, como Dom e Dalva e Dito, em SP, ambos do chef mais premiado do país, Alex Atala, além de uma passagem pelo Soeta, em Vitória, no Espírito Santo. De lá, herdaram inspirações e uma postura profissional e quase sem margem para falhas. Em busca de proximidade com os produtores, eles também chegaram a morar três meses na fazenda ecológica Yaguara, em Pernambuco, que hoje é fornecedora do café maravilhoso servido no Fogão, entre outros produtos.  

A chef Mayara retirando as lanternas de ostras cultivadas na Caieira da Barra do Sul. Quintal Rosa Fotografia

Mais tarde, a escolha por Floripa se deu guiada pela paixão pela gastronomia: ele, fã dos frutos do mar, ela, das carnes, queriam um lugar que conciliasse bons insumos para que as criações contentassem a ambos.

Por fim, no Fogão, chegaram a um conceito complexo e simples ao mesmo tempo: a cozinha é fusion, já que mistura diferentes inspirações, com uma forte influência mediterrânea. Mas quem reina entre as panelas e pratos é o ingrediente, enaltecido pelo trato artesanal e quase minimalista dos chefs.  O atendimento atento e atencioso, hoje comandado por Mayara, é outro ponto forte.

Tem dado muito certo. Hoje, com apenas um ano e meio de operação, Michael e Mayara estudam a mudança no mesmo bairro para um espaço maior – mas não muito – e , quem sabe, um novo empreendimento no Norte da Ilha.

E, já que essa é uma história de surpresas, aí vai mais uma: Michael tem apenas 28 anos e Mayara, 23. O talento inversamente proporcional à idade, a busca insana pela qualidade,  a pesquisa que nunca para e os pés bem fincados no chão, fazem a gente ter certeza que esta dupla vai bem longe.

Quintal Rosa Fotografia

Fogão Gastronomia: Servidão dos Artistas, 35, Rio Tavares. De quarta a sábado, das 20h às 23h e aos domingo, do meio-dia às 15h30. Reservas: (48) 3236-7796.

 

Comments

comments

Laura Coutinho

Escrito por Laura Coutinho

Laura Coutinho é jornalista com mestrado em Relações Internacionais. Já morou em Porto Alegre, Londres e Lisboa e é apaixonada por viagens, gastronomia, cultura e inovação. Trabalhou mais de 15 anos no Grupo RBS como repórter, editora, colunista e assinou coluna social durante um ano no Jornal Notícias do Dia. Hoje, concilia a produção de conteúdo em site próprio com o trabalho de relações públicas.

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *